Casamento Mariana e Altair (Pouso Alegre – Hípica Campo das Palmeiras)

Casamento de Mariana e Altair.

realizada na Hípica Campo das Palmeiras, em Pouso Alegre, com os parceiros:
Decoração: Helena Gurgel Arte Floral;
Fotografia: Roberto Hunger Junior ( Roberto Hunger Fotografia).

A listagem de empresas será atualizada durante a semana, obrigado a todos os profissionais envolvidos, amigos e parceiros, e meu obrigado especial ao casal.

 

 

 

O melhor companheiro de um casal…

O amor de um cão por seus donos é incondicional, quem possui um cão sabe disto. Sendo assim é cada vez mais natural que estes companheiros estejam presentes na cerimônia do casal, muitas vezes como convidados de honra ao longe observando, e quando possível (para deleite dos fotógrafos e diversão dos convidados) como parte da cerimônia, ao lado dos noivos durante o casamento todo.

 Eu poderia falar aqui de algumas dicas às noivas sobre isto, sobre como garantir bons retratos ao lado de seu cão neste dia tão especial. Mas isto é técnico e imprevisível, varia muito de casal para casal e da raça de cada cão e seu perfil, tudo pode influenciar, desde o horário ao número de convidados. Então a melhor dica é: Peça para seu fotógrafo conhecer o cão antes do casamento, ele saberá melhor como retratar seu companheiro conhecendo como ele se comporta no dia a dia. O que pretendo falar é  mais subjetivo… Será que alguém já se deu conta das valiosas lições que um cão pode dar a um casal?

 Fica aqui então uma pequena lista de situações caninas que todo casal pode ler e refletir:

 UM: Tive muitos cães, alguns ficaram comigo por muito tempo, outros a vida me obrigou a doar, tenho todos eles na lembrança, desde os bons momentos de passeio até mesmo as situações de destruição de moveis (que pensando bem hoje também foram bem engraçadas), cães são capazes de nos amar sem esperar nada em troca, naturalmente, intensamente. Você sabe que um cão te ama, mesmo ele sendo incapaz de falar, demonstram isto por gestos, olhares, e muita bagunça. E este é o primeiro ato a se refletir: Amor sincero tem demonstrações, que nem sempre precisam ser ditas, um gesto basta, uma brincadeira, um olhar;

 DOIS: Uma de minhas cadelas que mais sentia prazer em passear se chamou Pimenta, se já via uma coleira ou meu tênis de passeio parecia se transformar; corria pela casa de tanta ansiedade, ela sabia que por meia hora ou mais seriam apenas nós dois pela estrada. O amor precisa destas pequenas rotinas, destes momentos de passeio a dois, algo que nos dias de hoje é cada vez mais raro pra todos nós. Cães valorizam as pequenas coisas do dia a dia, valorizem vocês também em sua relação;

 TRÊS: Todos meus cães (e isto deve ser universal para cães) quando me viam chegar em casa faziam festa, pode parecer tolice, mas não é, nada melhor que ser recebido com alegria ao chegar; e aqui valem duas lições: Receba quem você ama com prazer, e não importa como tenha sido seu dia, ao ser recebido com alegria retribua;

 QUATRO: Cães não têm noção de tempo como nós, ontem ou hoje, amanhã ou agora, daqui duas horas… Tudo isto são conceitos que eles não podem compreender. Se você sai por apenas dez minutos, ele não sabe quando você retornará. O nível de saudades dos cães é algo imensurável, quem bom seria sermos sempre assim;

CINCO:  A última e maior lição é devido a minha primeira cadela, ela se chamava Lulu, era uma vira lata de pelagem preta, foi a minha primeira cachorrinha, que me viu crescer, ela viveu cerca de quinze anos. Eu a tive do final da minha infância ao começo de minha vida madura, um dia quando eu já tinha mais de dezoito anos ela se aproximou de mim, entrou no meu quarto já bem idosa, doente e com dificuldade, sentou ao meu lado, eu estava ao computador “ocupado” com um relatório que deveria enviar a “não me lembro quem” por “sei lá que razão”, e a expulsei de lá. Horas depois meu pai ao levou ao veterinário e ela foi sacrificada devido a um tumor crescente. Conhecem a expressão: Se arrependimento matasse? Ela foi se despedir de mim, e eu nem percebi isto por ser um jovem adulto tomado por suas “obrigações”. Fica a lição que eu aprendi de forma triste, quando quem você ama se aproximar em silêncio, preste atenção, não tire conclusões apressadas e o deixe ficar pelo tempo necessário, ofereça carinho.

 Se puder ter no dia do seu casamento seu cão leve-o, acredite, será tão importante para vocês quanto para ele, pois só quem ama um cão sabe que de alguma forma ele compreenderá a importância do que está acontecendo, sem palavras, mas com gestos.