O amor visto por um fotógrafo de casamentos…

“Mas chegará o instante em que me darás a mão, 
não mais por solidão, mas como eu agora: 
por amor.”

Clarice Lispector

Com muita frequência visito a internet, para pesquisar pensamentos sobre casamentos, frases e citações de incentivo aos noivos, e muitas vezes encontro apenas frases de humor, ou desmotivação, esta observação é algo que eu já até desabafado em meu e-book SÓ É NOIVA QUEM QUER. E de tanto não encontrar estes dizeres positivos sobre casamento, por fim, resolvi escrever eu mesmo.

O amor visto por um fotógrafo de casamentos…

Todas as semanas vejo pessoas se casando. Sou fotógrafo de casamentos, é minha paixão, mas o que realmente me atrai nesta profissão é ver o amor que permeia o casamento… Ele está, esperando por mim. O amor em uma cerimônia é imprevisível, pode até se esconder por mera timidez, enquanto em outros momentos ele salta sem vergonha, e se deixar transbordar. Se quiser ver também o amor valsando em um casamento deverá olhar nas entrelinhas, procurar nos detalhes efêmeros de um toque, um olhar, ou uma lágrima. Ele surge repentinamente, se esconde por brincadeira e quando menos se espera faz pose para mim.

O amor não pousa apenas nos noivos, em alguns momentos ele prefere o amor de mãe, o amor de pai, avós ou amizades, fica correndo entre os convidados, tirando a atenção de todos, contudo é no casal que ele realmente irá se manifestar mais vezes, e quando isto acontece… Acreditem, eu não preciso fazer nada, a fotografia acontece sozinha. Sim! É verdade, eu não faço nada, apenas tenho o privilégio de ser uma das pessoas mais próxima do casal neste grande dia. A maioria dos fotógrafos não se dá conta disto, da sorte que possuem, ficam preocupados com suas tecnicidades, com suas composições fotográficas e regras de terços, e deixam de perceber que justamente neste dia, entre tantos parentes, amigos e convidados é ELE quem está a poucos metros do casal, cruzando o caminho de todos, vendo detalhes que somente ele terá a sorte de ver. Sou uma pessoa de sorte, não imagino profissão mais importante no mundo.

Sou eu quem tem a responsabilidade (GIGANTESCA) de narrar os passos do amor durante uma cerimônia, tenho que saber onde ele está, adivinhar para onde vai, com quem está naquele segundo. A matéria prima da fotografia de casamentos é retirada desta dança entre o amor e minhas lentes, tenho que bailar por onde ele me levar, seja por entre um altar, seja ao ar livre, em um dia de sol ou chuva, o álbum de casamento só será possível se eu conseguir acompanha-lo. Se eu não conseguir sei que as futuras fotos reveladas deste dia serão apenas fotos impressas, imagens reveladas em papel fotográfico, nada mais… E isto será inaceitável, pois o que desejo mostrar são lembranças, momentos que quando revelados trarão emoção às pessoas, quero que quando o álbum for aberto pela primeira vez o amor esteja lá, tão ansioso quanto os noivos.

Todas as semanas vejo pessoas se casando, e tenho a sorte de ver toda semana o amor.